Pela Polícia Penal e contra privatização, SINDCOP faz 'maratona' em Brasília
Representantes percorreram gabinetes da Câmara dos Deputados e do Senado Federal, em defesa dos interesses da categoria
Postado em : 17/02/2019



Amauri Horne, Daniel Simonas, Junior Liute, deputado federal Coronel Tadeu (PSL), Alexandre Moreira, Alessandro Candido, Magno Alexandre, Lucas Vilalva e Debner Nunes: representantes do SINDCOP pedem apoio aos parlamentares de São Paulo.

 

 

Foram 73 ofícios protocolados durante os três dias em que representantes do SINDCOP estiveram em Brasília. A maratona, que se iniciou na segunda-feira (11) pela manhã, teve o objetivo de sensibilizar os deputados e senadores e solicitar seu apoio para demandas urgentes da categoria: a aprovação do projeto da Polícia Penal (PEC 372/2017), a exclusão dos agentes penitenciários da reforma da Previdência e a rejeição do plano de privatização do sistema penitenciário paulista.

O conselheiro fiscal do sindicato, José Alexandre Moreira, realizou esse trabalho na capital federal ao lado dos representantes Amauri Horne, Magno Alexandre e Daniel Simonas da Silva e dos filiados Debner Nunes, Junior Liute, Lucas Vilalva e Alessandro Candido.

Todos os 70 gabinetes dos deputados federais de São Paulo foram visitados pelo SINDCOP, além dos gabinetes dos três senadores paulistas: Major Olímpio (PSL), Mara Gabrilli (PSDB) e José Serra (PSDB).

 

Daniel Simonas, durante a Reunião da Frente Parlamentar em Defesa da Previdência.

 

Os representantes de São José do Rio Preto Daniel, Lucas e Alessandro também participaram de duas reuniões na Câmara dos Deputados.

Na quarta-feira (13) pela manhã ocorreu a reunião da Liderança do PDT, PSB e PCdoB, para discutir estratégias de resistência à reforma da Previdência e assuntos legislativos de interesse na Câmara. Já na parte da tarde eles estiveram na reunião da Frente Parlamentar Mista em Defesa da Previdência Social, sob a coordenação do deputado Rodrigo Coelho (PSB/SC) e do senador Paulo Paim (PT/RS).

A frente voltará aos trabalhos no início de março, e conta com participação de senadores, deputados, representantes de entidades de servidores e pesquisadores.

Requerimento para Polícia Penal

Foi graças a ação do SINDCOP que o projeto da Polícia Penal teve seu primeiro andamento em 2019. Representantes do sindicato conseguiram que o deputado federal Luiz Flávio Gomes (PSB) assinasse um requerimento para que a PEC fosse incluída na Ordem do Dia do plenário da Câmara dos Deputados.

O deputado declarou total concordância à proposta da polícia penal e também rechaçou a ideia de privatização do sistema penitenciário paulista, proposta pelo governador João Doria (PSDB).

 

Modelo de ofício protocolado em todos os gabinetes da Câmara e do Senado.

 

O requerimento assinado pelo deputado é o primeiro desde o fim da intervenção Federal no Rio de Janeiro, que terminou dia 31 de dezembro de 2018. Durante a vigência da intervenção não era possível discutir nem votar qualquer alteração na Constituição Federal, como é o caso da PEC 372/2017 (Proposta de Emenda à Constituição). 

Luiz Gomes também se comprometeu a conversar com Rodrigo Maia, presidente da Câmara, sobre a possibilidade de levar a proposta para votação em plenário. A PEC da Polícia Penal já foi aprivada por unanimidade no Senado Federal e está pronta ser votada no plenário da Câmara. 

De frente com os deputados

O SINDCOP também conseguiu fazer reuniões com alguns deputados. Além de Luiz Flávio Gomes, os recém eleitos Rodrigo Agostinho (PSB) e Kátia Sastre (PR) receberam os representantes do sindicato em seus gabinetes. A ocasião serviu para discutir as necessidades dos servidores penitenciários e o apoio dos parlamentares aos projetos de interesse da categoria.

Outros deputados também conversaram com os representantes do SINDCOP e gravaram mensagens aos agentes penitenciários do estado. Foi o caso do Coronel Tadeu (PSL), Orlando Silva (PC do B), Marco Feliciano (PODEMOS) e Sargento Fahur (PSD-PR).

 

Conversa frente a frente com deputados serviu para explicar as demandas e necessidades do servidor penitenciário.

 

Veja AQUI mais fotos da passagem do SINDCOP por Brasília.





Desenvolvido e mantido por Logicomp Co.